A Alternativa Portugal discorda da decisão do Governo de encerrar maternidades e urgências de obstetrícia. Esta decisão, tomada ao abrigo de critérios meramente economicistas e que ignora os interesses das populações, conduz à desertificação do interior e não é, seguramente, uma medida que incentive o aumento do número de filhos das famílias portuguesas.

A Alternativa Portugal manifesta toda a sua solidariedade às grávidas e suas famílias residentes nos concelhos atingidos, que terão de percorrer muitos mais quilómetros até aos serviços de urgência mais próximos, recorrendo muitas vezes a transportes sem condições de bem-estar e comodidade, e vendo-se assim forçadas a ter os seus filhos em casa, numa ambulância ou até em Espanha, situação que classificamos de intolerável num Portugal dito “moderno” e do século XXI.

Alternativa Portugal


» Imprimir Comunicado em versão PDF
» Imprimir Comunicado em versão PDF